[RESENHA] As Crônicas de Bane – Cassandra Clare, Sara Rees Brennan e Maureen Johnson

10679916_10152523815887713_2060943578653440645_o

Título: As Crônicas de Bane
Autora: Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan, Maureen Johnson
Editora: Galera Record
Páginas: 392
Classificação: 4/5

Nesta edição ilustrada, são narradas as mais diversas aventuras do feiticeiro imortal Magnus Bane, das aclamada séries de Cassandra Clare. Entre escapadas no Peru e resgates reais na Revolução Francesa, acompanhe fragmentos da vida do enigmático mago ocorridos em diversos países e períodos históricos, com aparições de figuras conhecidas como Clary, Tessa, Will e Alec, personagens de Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais.

 “Magnus tinha como política ouvir pessoas gentis, incentivadoras e lindas.”

As Crônicas de Bane é escrito por três autoras, Cassandra Clare, Sara Rees Brennan e Maureen Johnson. Conta como foi o passado do feiticeiro mais famoso da série Os Instrumentos Mortais em 10 contos. Começa sua passagem pelo Peru, a ajuda da Rainha na Revolução Francesa, passa pela crise dos EUA em 1929 e o primeiro encontro com Alec, são historias engraçadas, cheias de situações inusitadas que somente Magnus poderia vive-las.

Aparecem nos contos muitos personagens que já são conhecidos para quem leu Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais. Eu aconselho a ler As Crônicas de Bane depois da leitura das Peças Infernais, é inevitável pegar spoilers da trilogia.

Problemas acompanhavam Magnus Bane por onde ele passava, Peru, Paris, Londres até mesmo em Nova York, sua atual cidade. Às vezes tinha desentendimentos com as criaturas do submundo, e em outras circunstâncias ele mesmo causava algum problema. Isso deixava as historias mais divertidas. O azar perseguia o passado de Magnus. E podemos entender melhor sua aversão por vampiros.

” (…)Os vampiros cometiam crimes piores do que um assassinato. Eles cometiam crimes contra a moda. Quando uma pessoa é imortal, tende a se esquecer de que o tempo passa. Mas isso não é desculpa para vestir uma boina que foi moda na época de Napoleão I”

Bane nos diverte muito com seus amigos feiticeiros Ragnor Fell e Catarina Loss, seus comentários fashionistas deixa a historia muito engraçada, mas também nos emocionamos quando Bane salva Raphael Santiago e em como ele ajuda o jovem em sua nova vida. Existem cenas envolvendo Alec e Magnus, eu achava que ia ter algo mais quente, mas não tinha. 😦 Acho que Cassandra não quis arriscar.

Com uma narrativa simples, a leitura se torna ágil, alguns contos tem mais emoção que os outros. A edição é lindíssima, capa holográfica, cada conto contém uma ilustração, bem estilo do nosso Alto Magnífico feiticeiro de Brooklyn, só faltaram às purpurinas espalhadas pelas paginas. Para os fã de Os Instrumentos Mortais é uma leitura indispensável.

Anúncios

6 comentários sobre “[RESENHA] As Crônicas de Bane – Cassandra Clare, Sara Rees Brennan e Maureen Johnson

  1. Ah Magnos Bane é um dos personagens principais de instrumentos e eu adorei saber mais sobre ele…Apesar de não ser um livro que me instigou como os anteriores eu curti bastante a leitura…
    E essa capa…mto diva!!!
    Bora pro proximo amiga..peças nos aguarda!

    Curtir

    • Magnus é um dos personagens que eu mais gosto na série Os Instrumentos Mortais, foi bom mesmo saber sobre ele. Essa capa é puro glamour. Bem a cara do nosso feiticeiro kkk
      Bora para o próximo amiga… Que venha As Peças Infernais… ❤

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s