[RESENHA] A Garota do Calendário: Fevereiro – Audrey Carlan

a-garota-do-calendarioNo segundo volume da série, A Garota do Calendário: Fevereiro, somos jogados novamente a mais uma aventura de Mia Saunders, não que ela goste do que faz, mas porque precisa fazer. Publicado pela Verus Editora, o livro traz reflexões simples sobre o amor mesmo que seja por um curto período de tempo.

Em A Garota do Calendário: Janeiro, descobrimos que Mia Saunders precisa em um ano, conseguir um milhão de dólares para pagar o agiota que ameaça a vida de seu pai. A missão é quase impossível, Mia não tem uma família rica, até sua tia lhe fazer uma proposta: trabalhar como acompanhante de luxo.

No segundo mês, Mia conhecerá o excêntrico francês Alec Dubois, um artista que pretende transformar Mia em sua musa. Logo em sua chegada, Mia causa um acidente e acaba torcendo seu pé, ficando a mercê dos cuidados de Alec.

Alec Dubois usará Mia como musa da sua nova exposição de artes “Amor a Óleo”. E no final do mês o resultado será surpreendente. Mia e Alec ficam bem próximos, tão próximos onde ela aprende uma nova forma de amor.

“Eu preciso te amar um pouco para querer estar com você dessa maneira. Mas ainda posso te amar e deixar você livre. Você vai levar o meu amor quando for embora. Para sempre. E esse pedaço do meu amor vai ser seu enquanto você viver.”

2016-09-07-20-19-19

A Garota do Calendário: Fevereiro, não há nada de novo, Mia continua sua luta pelo dinheiro da divida, a única diferença é que Alec é um francês artista sedutor e Wescliente de janeiro – foi um diretor de filmes encantador. A proposta da autora nesse livro é mostrar os vários tipos de relação que se pode ter sem se apaixonar pela pessoa, mas mesmo assim tem aquele 1% de paixão.

Inicialmente não me identifiquei com o personagem Alec, ele parecia um francês pirado, porém quando ele fala sobre o amor, esqueço que achava ele fora de si. Algumas atitudes de Mia me irritaram, mas o que eu gostei foi à forma com que a autora conduziu a história, sem mimimis e direto ao ponto. Acredito que o fator principal da história que Audrey Carlan quis mostrar, foi à independência da mulher, Mia faz o que tiver vontade e sem torná-la vulgar. Entrando para o lado social, nos mulheres sabemos que é discriminação por sair com alguns homens enquanto os mesmo saem com quantas mulheres quiserem e ganha fama de pegador.

2016-09-07-20-18-41

Ao contrario de uns comentários a leitura me agradou, li em menos de uma hora o livro todo. Fiquei admirada com a escrita direta da autora, a narrativa é fluida e permite uma leitura veloz. As cenas eróticas têm seu tom clichê e no final quando Alec apresenta sua exposição de artes, parecia que eu conseguia visualizar cada obra retratada, foi incrível ter isso em minha menta. Mas o livro não entra na lista de favoritos, simplesmente porque não me cativou totalmente. E só para constar, minha torcida é que Mia fique com Wes. Mas inda é muito cedo para deduzir o que a autora pretende fazer no final da série.

Em resumo, A Garota do Calendário: Fevereiro, vale a penar ler se você leu o primeiro volume da série e se você é um leitor que gosta de New Adult, recomendo! Espero que Março me surpreenda mais!

“Naquele momento, jurei a mim mesma que não tentaria me impedir de me importar com cada cliente. Eu me permitiria gostar de cada um do meu jeito. Só não seria o “eu te amo para sempre”. “Para sempre” era algo sagrado, que aconteceria no momento certo, com a pessoa certa.”

todos

Titulo: A Garota do Calendário – Fevereiro
Autora: Audrey Carlan
Editora: Verus
Páginas: 130
Classificação: 4/5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s